Categorias
Sem categoria

Crescimento do Aftermarket: Como inovar no mercado?

Crescimento do Aftermarket: Como inovar no mercado?

A transição de um mercado automotivo exige novos investimentos e estudos para que todo o setor que envolva veículos acompanhe as tecnologias, para que enfim incentive o crescimento do aftermarket. 

Segundo a McKinsey & Company, nos próximos anos, o mercado brasileiro de autopeças deve quase dobrar de tamanho, passando dos atuais US$ 13 bilhões para US$ 25 bilhões em 2040. 

Esse é um cenário promissor, porém exige cuidados e atenção do setor.

Novas exigências do mercado de autopeças

O mercado de reposição de autopeças está passando por uma transformação significativa, impulsionada por vários fatores, como o aumento de carros elétricos, o envelhecimento natural da frota e a sofisticação das peças nos veículos. 

O último fator refere-se a mais que peças como coxins, interruptores ou outro componente vital para o funcionamento e segurança dos veículos. Itens como câmeras de ré, sensores, kits multimídias e até mesmo pneus passam por essa evolução e oferecem novas tecnologias que otimizam a experiência ao dirigir. 

Para os pneus, o crescimento estimado até 2024 deve-se às mudanças em suas dimensões e novas funcionalidades como, por exemplo, os reciclados, diferente dos recondicionados, autovedantes que quando furam, se recuperam “sozinhos”, os sem ar, que possuem paredes mais grossas e os com sensores, que segundo o site Big Tires, podem fornecer informações como o tipo de estrada e ainda se adaptar às condições climáticas. 

 

 O futuro é elétrico

Os veículos elétricos já são uma realidade no mundo e também no Brasil, principalmente com a chegada da BYD e investimentos no setor que ultrapassaram R$ 76 bilhões somente em 2024 em diversas montadoras que possuem modelos elétricos em outros países. 

Até 2040, espera-se que 55% das novas vendas e 21% da frota brasileira sejam de carros elétricos, totalizando 11 milhões de veículos desse tipo circulando nas ruas e a necessidade do crescimento do aftermarket.

Os gastos com reposição de peças dos carros elétricos deverão ser 40% mais baixos do que com os de motor à combustão. No entanto, a manutenção exigirá mão de obra mais qualificada e custosa, além da necessidade de destinação correta e reciclagem da bateria de lítio. 

 

Como inovar e participar do crescimento do aftermarket?

Toda mudança exige investimentos, contudo o início deve partir de pesquisas de mercado para ser possível entender as necessidades e desejos dos consumidores e desenvolver produtos que atendam às expectativas de forma assertiva. 

Tentativas e erros podem fazer parte do processo, mas não devem chegar ao consumidor final. Por isso, normas de qualidade, uso de matérias-primas adequadas, além de um processo de fabricação supervisionado devem estar no planejamento desde o início do investimento. 

Outra maneira de participar do crescimento do aftermarket é a digitalização. Atualmente o e-commerce no Brasil passa por uma grande expansão, principalmente após o período de distanciamento social e a necessidade de realizar compras de maneira segura sem sair de casa. 

Estabelecimentos físicos precisaram se modernizar e, uma das soluções mais vantajosas do mercado tem sido o marketplace, como o COMPRE SUA PEÇA, especializado no segmento automotor e que possui soluções para impulsionar seu negócio, confira nosso Webinar em nosso YouTube e saiba como Como iniciar e escalar venda de peças Online.. 

A inovação é fundamental para capturar as oportunidades no aftermarket automotivo. Esteja atento às mudanças e às demandas do consumidor para se destacar nesse setor em constante evolução.

E conte com os produtos tech do COMPRE SUA PEÇA para se destacar no mercado e escalar suas vendas. Venha para o futuro do setor automotor!

 

Últimos Posts

Atendimento

Segunda à Sexta-feira das 09h às 18h (exceto feriados)

© 2021 – COMPRE SUA PEÇA – TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | Creative by Kzulo Propaganda

Categorias
Autotechs Carro Oficina

Seu carro foi atingido por enchente? O que fazer?

Seu carro foi atingido por enchente? O que fazer?

Não é sempre que desastres naturais podem ser evitados e algumas vezes nos pegam de surpresa. Quando isso acontece, precisamos estar preparados para agir de maneira correta, como, por exemplo, quando o carro foi atingido por enchente.

 

É importante ressaltar que o seu bem-estar deve estar sempre em primeiro lugar, por isso, se não for possível mover o veículo, saia e busque um local seguro antes de qualquer ação!

Segundo o site Quatro Rodas, qualquer veículo pode ser salvo de uma enchente, porém nem sempre é vantajoso pagar pelo serviço, que pode ser muito caro, principalmente se entrou água no motor causando o calço hidráulico, que ocorre quando os cilindros se enchem d’água, deformando os componentes.

Os valores para salvar um carro atingido por enchente podem variar dependendo do modelo e da falha que, quantos mais componentes eletrônicos tiver, mais caro o conserto.

Somente um mecânico pode avaliar os danos, porém se o seu carro foi atingido por uma enchente, existem algumas medidas importantes que você deve tomar para avaliar os danos e decidir como proceder.

Continue a leitura e saiba o que fazer.

Primeiros sinais de enchente: mantenha a calma e não se arrisque

Começou a chover e a água subiu rápido? Esse é o sinal para que você dobre a atenção e aja com mais cautela no trânsito, afinal, uma atitude errada pode colocar o carro ou até mesmo você em risco.

 

  • Se não for possível voltar ou sair do ponto de alagamento, a primeira coisa que você deve fazer é não continuar a dirigir caso não conheça a estrada. Ela pode ter buracos, bueiros abertos, bocas de lobo e obstáculos que foram encobertos pela água.
  • Saiba quando parar: o limite para atravessar o ponto de alagamento é quando a água está na metade da roda ou pneu, depois disso, ela pode entrar no motor e dificultar sua saída. Novamente, se não for possível voltar, desligue o carro, saia e busque ajuda.
  • Marcha lenta: Mantenha o carro na primeira marcha, evitando que o carro peça pela segunda. Manter uma rotação fixa evita a entrada de água no motor. 
  • Calço hidráulico: Esse problema é causado pela entrada de água no motor e isso ocorre principalmente quando o carro é ligado durante a enchente, troca de marcha ou caso a correnteza esteja forte.
  • Componentes eletrônicos: Evite a perda de componentes eletrônicos desligando o veículo quando perceber que a água está subindo rápido. Neste caso, lembre-se de sair imediatamente do veículo e buscar um lugar mais alto.

Quando a chuva parar e o nível da água descer, é o momento de avaliar os danos.



O que fazer quando o carro é atingido por enchentes? 

 

Conseguiu chegar até o veículo? Não é o momento de ligá-lo e dirigir até o seu destino. É o momento de avaliar a extensão dos danos e, primeiramente, verificar até que ponto a água alcançou. 

Se foi apenas até o assoalho e o carro não possui muitos componentes eletrônicos, o reparo pode ser relativamente simples. No entanto, se o veículo tiver muitas partes eletrônicas, o prejuízo pode ser maior.

 

  • Ligue para a seguradora ou guincho: Se o seu carro tiver seguro, acione a seguradora ou um guincho para remover o veículo do local. Quanto mais tempo o carro ficar parado, mais complicado o conserto.
  • Não ligue o carro atingido por enchente: Não insista em ligar o carro enquanto ele estiver submerso. Isso pode causar danos ao motor, como o calço hidráulico.
  • Leve o veículo para uma oficina: Após ser atingido por uma enchente, leve o carro a uma oficina mecânica. Um profissional avaliará o tamanho do problema e indicará os reparos necessários.
  • Faça uma higienização profissional completa: Faça uma higienização completa do veículo para remover lama e resíduos. Isso é especialmente importante se a água atingiu o interior do carro: a água da chuva pode ser vetor de doenças e o contato deve ser evitado.



Lembre-se de que, em casos mais graves, como calço hidráulico ou danos significativos aos componentes eletrônicos, o custo do conserto pode ser alto. E para recuperar seu carro com as melhores peças do mercado, conte com o COMPRE SUA PEÇA!

Fique atento às chuvas e sua segurança em primeiro lugar!

Categorias
Autotechs marketplace

Qual a diferença entre marketplace e dropshipping?

Qual a diferença entre marketplace e dropshipping?

Ao entrar no mundo de vendas digitais, muitos conceitos podem ser confundidos, como, por exemplo, marketplace e dropshipping e dificultar a tomada de decisão para quem quer começar a empreender.

Entender as diferenças e particularidades de cada um pode ser a diferença para o sucesso ou o fracasso do seu negócio. Com planejamento e muito estudo é possível crescer e se destacar no seu nicho.

Se você está na dúvida sobre o que é o marketplace e dropshipping, continue a leitura e informe-se.

Marketplace e dropshipping: o que é?

E-commerce, marketplace, envio full… são muitos termos novos para que o lojista entenda e aplique em seu negócio, sendo ele novo ou que está fazendo uma transição do físico para digital. 

Para começar é importante descobrir qual formato de loja você quer. Se você não quer ter um investimento inicial muito grande e ainda ter a segurança de boas vendas, a melhor opção é o marketplace. 

Um marketplace é como um grande shopping online, onde diversos vendedores e marcas se reúnem em uma única plataforma, como, por exemplo, o Mercado Livre, Amazon e Submarino. Ou pode ser dividido em nichos, como o Compre Sua Peça, o primeiro marketplace voltado para o setor automotor. 

Nesses espaços, os vendedores podem oferecer diferentes produtos, serviços, além de já terem visibilidade imediata para os produtos devido ao seu público estabelecido. Tudo isso, por taxas cobradas pelo marketplace. 

Já com o dropshipping, o lojista não precisa manter um estoque próprio dos produtos: Quando um cliente faz uma compra, o vendedor repassa o pedido ao fornecedor ou fabricante, responsável por embalar e enviar o produto diretamente ao cliente.

O vendedor concentra-se nas atividades de marketing, atendimento ao cliente e vendas. Nesse formato, o controle de estoque deve ser maior, afinal, o produto não está com o lojista.

O investimento com o dropshipping é maior, já que será necessário investir em site, marketing e fortalecer a marca para colher resultados. E, segundo o site E-Commerce, ao contrário do marketplace, o dropshipping possui resultados mais demorados. 

Marketplace e dropshipping: atendimento ao cliente e marketing

Um empreendimento é constituído de vários fatores, como o atendimento ao cliente e estudos sobre a concorrência e os modelos marketplace e dropshipping se diferenciam bastante nesses quesitos. 

No marketplace há menos controle sobre a marca e a experiência do cliente, pois estará operando dentro da plataforma do marketplace. Contudo, isso não impede que o lojista construa um relacionamento com seus clientes por meio de outras redes sociais ou de lojas físicas, já que o atendimento ao cliente é responsabilidade do marketplace. 

Já para o dropshipping, há a necessidade de construir uma marca própria, personalizar toda a experiência do cliente, investir em hospedagem e realizar um trabalho de marketing para fortalecer o nome. 

Com essas dicas, o próximo passo é realizar pesquisas de mercado e concorrência para saber onde é possível se destacar com maior facilidade e qual a vantagem de cada um, lembrando que, boas mercadorias também fazem a diferença para clientes!

O COMPRE SUA PEÇA é uma autotech totalmente voltada para o setor automotor, com serviços de marketplace e dropshipping reunindo sellers de todo país, com peças e serviços, além de auxiliar na escalada rápida com suas soluções tech e equipe preparada para receber os mais diversos negócios. 

Entre em contato conosco e venha para o futuro do comércio!

Categorias
Autotechs marketplace

O que é logística reversa e por que você deve implementar em seu e-commerce?

O que é logística reversa e por que você deve implementar em seu e-commerce?

Ao iniciar uma loja ou e-commerce, pouco se fala na importância em ter uma equipe pronta para realizar a logística reversa, um passo importante para garantir a qualidade dos seus serviços.

Com o aumento de compras online, é comum que também aumente a necessidade de devoluções e trocas e isso é algo normal, já que clientes podem esperar outra coisa do produto e ocorrer danos durante o transporte. 

Mas, apesar de tão comum, seu negócio está preparado para os processos de logística reversa?

O que é logística reversa?

Em resumo, logística reversa é o processo de volta do comprador para sua loja virtual. Simples, não é? 

Contudo, esse é mais um processo pelo qual sua equipe deve estar preparada para realizar o processo: como a mercadoria chegará até sua loja? Por coleta ou o cliente deve enviar via transportadora? 

Como será feito o reembolso, por voucher ou devolvido o valor integral? Além dessas questões, é importante que o lojista saiba que as etapas para uma logística reversa eficiente começam com o atendimento ao cliente, o recebimento da mercadoria, checagem no estoque, o reenvio (em caso de troca) e, novamente, todo o processo de entrega realizado na primeira etapa de compra. 

Quais as principais vantagens em implementar a logística reversa em seu negócio?

Além de garantir um bom serviço para seus clientes, a logística reversa é um dos grandes diferenciais nos dias de hoje. Afinal, ninguém quer comprar e não ter garantia que terá seu produto em mãos. 

Mas, é uma questão legal: O código de defesa do consumidor prevê que consumidores têm direito a arrependimento de compra e troca em caso de defeito ou vício, ou seja, é vital para a manutenção do seu e-commerce e também evita processos que podem interferir em seu rendimento.

Redução de custos

Ao adotar o processo de logística reversa, o produto que volta para o estoque não fica parado, ele pode ser revendido, em casos de trocas e arrependimentos. Para isso, é importante implantar softwares de gestão de estoque e evitar o desperdício.

Otimização da logística

A otimização de processos permite que todo setor logístico da sua empresa seja impactado positivamente. O planejamento de estoque se tornando mais assertivo, seus colaboradores terão mais controle do que entra, sai, peças com defeito e o que está retornando. 

A logística reversa é um diferencial 

Uma loja que possui processos de logística reversa claros para o consumidor pode se destacar positivamente no mercado. E, uma maneira de fazer isso é esclarecendo os termos de compra, troca e devolução em seu site. 

É uma maneira de mostrar que sua loja está disposta a estreitar relações e se preocupa com o pós-venda e bem-estar do seu cliente, de forma fácil, ágil e organizada. 

Aumenta seu diferencial competitivo

Uma empresa com uma gestão de processos estabelecidos de logística reversa pode se destacar de várias formas no mercado.

O primeiro ponto é a possibilidade de se relacionar com quem compra na sua loja virtual no pós-venda, solucionando possíveis problemas de forma ágil e organizada.

Etapas da logística reversa

Para que esse processo seja implementado em seu negócio, é importante também conhecer todas as etapas da logística reversa.

  1. O primeiro passo é o cliente solicitar a troca ou devolução via atendimento ao cliente;
  2. Caso a empresa não possua estoque próprio, deve entrar com pedido no fornecedor;
  3. Após verificar a disponibilidade, o lojista solicita o envio ou a coleta (falaremos sobre os tipos em breve);
  4. Com o recebimento, as condições são analisadas e então é informado ao cliente se estão de acordo com as políticas da empresa;
  5. O produto volta ao estoque ou é levado até o fornecedor que deverá realizar a troca ou descarte;
  6. O envio da nossa peça é feito ou é realizado o reembolso de acordo com os termos da loja e dentro do que o C.D.C. prevê.

Lembre-se que o consumidor está amparado judicialmente e os prazos devem ser respeitados!

Tipos de coleta em logística reversa

Parte do sucesso no processo de logística reversa é antecipar a dor do cliente, então é necessário contar um tipo de coleta.

Lojas como a Amazon utilizam o serviço de coleta no endereço do cliente. Isso acontece devido às quantidades de armazéns que a Amazon possui em todo o país, tornando o serviço mais em conta. Para empreendimentos menores, pode ser uma opção com mais custo. Neste caso, a coleta poderá ser agendada com horários definidos pelo cliente.

O ponto de entrega pode ser uma opção mais em conta, já que a devolução fica por conta do cliente. Os correios possuem um serviço especial para isso, o de logística reversa, no qual é preciso preencher um formulário e levar o pacote com as informações para a devolução gratuita.

Vale informar que os correios também podem realizar coleta, porém somente em endereços de clientes com contrato. 

É importante que todo o trajeto seja mapeado para que os atendimentos fiquem cada vez mais eficientes, então, todo processo entre a abertura do pedido deve ser observado e analisado: Quanto tempo demorou desde a abertura ao final? Quantos contatos com o cliente foi necessário? 

Quais os maiores motivos de troca? O atendimento foi eficiente? 

Com essas dicas, você já pode iniciar o processo de logística reversa em sua loja, com mais confiabilidade e satisfação para seus clientes. É importante que, para ambos, a devolução ou troca não deve ser um estresse, mas sim uma percalço que enfim foi solucionado.

Para além de satisfação, é necessário lembrar que a prática de devolução ou desistência por um determinado tempo está prevista em lei e deve ser exposta de maneira clara. 

Pronto para colocar tudo em prática? Conte com o COMPRE SUA PEÇA para criar sua loja oficial, fazer envios por meio do CSP Envios e alavanque seu negócio!

Entre em contato conosco já!

Categorias
Carro

O que fazer quando a luz de óleo do seu painel acender?

O que fazer quando a luz de óleo do seu painel acender?

As luzes do painel do seu veículo comunicam informações importantes que você não pode ignorar, por isso, entender o significado das luzes é crucial para que você saiba o que está falhando e precisa de revisão. Neste artigo, abordaremos tudo o que você precisa saber sobre a luz de óleo do painel. 

A luz de óleo é uma das luzes mais críticas do painel do seu veículo e ignorá-la pode levar a problemas graves no motor do seu carro, incluindo a perda de componentes importantes do sistema de ignição. 

Continue a leitura!

As luzes do painel

Imagine que o painel do veículo é como o cérebro, utilizado para comunicar e alertar sobre as condições de peças e equipamentos, por isso, é comum dizer que suas mensagens são vitais. 

O painel do veículo é o local onde todas as informações essenciais são exibidas e, por meio das cores, você entenderá como está a saúde do seu carro. A luz de óleo é apenas uma das muitas luzes que você encontrará no painel, por isso, é importante conhecer todas as luzes do painel e entender quando e por que elas se acendem.

Cores das luzes do painel

Se você tem um carro, já percebeu que elas geralmente estão verdes ou azuis, indicando seu pleno funcionamento, contudo, quando algo não está funcionando corretamente, elas podem mudar e então você precisa saber o que as cores das luzes do painel indicam.

É importante verificar o manual do proprietário do seu veículo para entender o significado exato das luzes no painel, já que a nomenclatura e a cor das luzes podem variar entre diferentes modelos e fabricantes de automóveis. Ignorar luzes de advertência pode levar a danos ao veículo ou a situações de segurança precárias, portanto, é crucial prestar atenção a essas indicações e tomar medidas adequadas quando uma luz se acende.

As luzes azuis costumam ser usadas para indicar que um sistema está em operação. Por exemplo, de luz alta, indicam que os faróis de alta intensidade estão ligados.

Verde ou branco são geralmente usadas para indicar que um sistema está ativado ou em funcionamento normal.

As luzes amarelas podem indicar um defeito que ainda não é muito grave ou que o combustível está na reserva ou em alguns modelos, que é necessário abastecer o tanquinho de partida a frio. Além disso, podem ser:

  • Luz de pressão dos pneus: Indica que a pressão dos pneus está abaixo do recomendado.
  • Luz do sistema de injeção: Pode indicar problemas no sistema de combustível ou emissões.
  • Luz do ABS: Problemas no sistema de freios antibloqueio. 
  • Luz de desembaçador de pára-brisas: Indica o funcionamento do equipamento.

Já as luzes vermelhas são alertas críticos de algum componente, sendo necessário a parada, abastecimentos imediatos, abertura do capô e funcionamento do pisca-alerta. Nesses casos, o mais indicado é chamar um guincho e levar o veículo até o mecânico e relatar os problemas e mudanças que você notou nos últimos tempos:

  • Luz do motor: Problema no sistema de controle do motor.
  • Luz de temperatura do motor: Indica superaquecimento do motor.
  • Luz de freio: Alerta para problemas no sistema de freio.
  • Luz de freio de mão (de estacionamento): Significa que o freio está engatilhado e por isso, o carro não se movimenta.
  • Luz de airbag: Se essa luz se acender, o equipamento de segurança poderá não funcionar em caso de colisão.

Contudo, se as luzes estão piscando, pode também ser um indicativo de mau contato entre as peças, principalmente quando a intermitência ocorre durante as acelerações. Ou, se as luzes estão todas acesas, pode indicar falha elétrica grave!

Quando se trata da luz de óleo, a cor é um indicador importante do nível de urgência, afinal, a lubrificação é importante para proteger o veículo.

A importância da lubrificação para o carro

A lubrificação do motor é indispensável para proteger, preservar e prolongar a vida útil do veículo. Com um óleo lubrificante de qualidade e correspondente às características descritas no manual do usuário, o motor estará protegido por muito tempo nas mais diversas situações extremas.

Além disso, o lubrificante serve para:

  • Reduzir atrito entre peças: O motor de um carro tem várias peças móveis, como pistões, bielas e válvulas, que se movem rapidamente e entram em contato direto, gerando atrito. Isso pode causar desgaste prematuro e superaquecimento. A lubrificação adequada prolonga a vida útil das peças.
  • Evita o superaquecimento: A lubrificação também ajuda a dissipar o calor gerado pelo atrito e pela combustão interna. O óleo lubrificante carrega o calor das peças em movimento e mantém a temperatura do motor em segurança.
  • Vedação: O fluido lubrificante cria uma camada protetora nas paredes do cilindro e nos anéis de pistão, o que ajuda a vedar o espaço entre eles, evitando que os gases de combustão escapem, mantendo a eficiência do motor.
  • Limpeza: O óleo é agente de limpeza que auxilia na remover partículas do motor e, com o auxílio do filtro, retira todos os detritos e impede que eles circulem pelas peças, evitando acúmulos que podem prejudicar a saúde do veículo. 
  • Protege contra corrosão: Em sua composição há substâncias que formam uma película protetora nas peças metálicas. A mesma película que evita o desgaste das peças, também é importante para proteger de ações do tempo, clima ou de partículas que promovem a corrosão.
  • Reduz de ruído: A lubrificação adequada reduz o ruído gerado pelo atrito das peças móveis do motor, dando mais conforto aos ocupantes do veículo que podem viajar em silêncio.

Acendeu a luz de óleo? Fique atento

A luz de óleo é representada por um ícone de óleo de motor e é uma das luzes mais importantes e críticas do painel do veículo. Por isso, quando essa luz se acende, indica que o sistema de lubrificação do motor pode estar enfrentando problemas.

Se a luz de óleo acender, é importante saber como reagir imediatamente, já que ignorá-la pode ter consequências sérias. O primeiro passo é não entrar em pânico, conferir se tem todos os itens de sinalização e seguir as seguintes etapas:

  • Pare o carro imediatamente: Assim que notar a luz de óleo acesa, reduza a velocidade e encoste o carro em um local seguro. É importante que você não continue dirigindo com a luz de óleo acesa e caso pare em acostamento, sinalize com o triângulo e ligue o pisca-alerta.
  • Desligue o motor: Desligue o motor imediatamente. Após parar e sinalizar corretamente, desligue o carro e não tente dar um “jeitinho”. O motor desligado evita qualquer dano adicional que possa estar ocorrendo devido à falta de lubrificação.
  • Verifique o nível de óleo: Espere o carro esfriar e certifique-se que seu carro esteja parado em uma estrada plana. Abra o capô do carro e verifique o nível de óleo usando a vareta de medição de óleo. Medir o óleo pode causar diferença no nível real devido à dilatação das peças e “enganar” o medidor. Se estiver muito baixo, adicione óleo conforme necessário, se não tiver óleo disponível, chame o guincho e vá até um posto de gasolina. Use somente o tipo de óleo recomendado para o seu veículo.
  • Confira vazamentos: Enquanto o guincho não chega, procure por vazamentos de óleo sob o carro. Se você notar qualquer vazamento significativo, não tente continuar dirigindo e, não vá para o posto de gasolina, busque um mecânico de confiança e relate o que aconteceu.
  • Na dúvida, não continue dirigindo: O recomendado é que, ao menos que você tenha certeza de que o problema foi resolvido, não ligue o motor novamente. Dirigir com baixa pressão de óleo pode causar danos graves ao motor.
  • Chame um mecânico: A luz de óleo pode acender devido a diversas razões, incluindo baixa pressão de óleo, problemas no sensor de pressão de óleo, mau contato, vazamentos ou até mesmo problemas internos no motor. Somente um profissional qualificado poderá diagnosticar a causa e realizar os reparos necessários.

Não se esqueça de usar somente o óleo lubrificante com as especificações indicadas pela montadora do seu veículo. O produto errado pode causar desgastes precoces, superaquecimento, redução da potência e eficiência do motor, formação de borra que podem se tornar depósitos e diminuir a vida útil do motor.

Todos os componentes do veículo são importantes, contudo lembre-se de que a luz de óleo é um indicador crítico da saúde do seu motor, o coração do seu veículo. Não é recomendado ignorar essa luz que pode resultar em falha do motor e reparos caros. Por isso, sempre leve a sério qualquer sinal de alerta relacionado à lubrificação e às luzes do painel e tome medidas imediatas para resolver o problema com profissionais.

Para evitar que a luz de óleo acenda, realize manutenções e utilize óleos lubrificantes e peças de qualidade.

O COMPRE SUA PEÇA possui uma grande variedade de óleos lubrificantes mineral, sintético ou semissintético para seu carro, caminhão ou motocicleta, além de peças para o sistema de ignição de diversas marcas. 

Confira em nosso site e faça a escolha correta!

Categorias
Carro

Como calibrar os pneus da maneira correta?

Como calibrar os pneus da maneira correta?

 

Calibrar os pneus é essencial para garantir a segurança da condução do veículo e prolongar a vida útil dos pneus. E, por mais que esse assunto seja comentado sempre quando artigos tratam de revisão, é importante ressaltar que os pneus devem ser verificados e calibrados com maior frequência.

Alguns especialistas recomendam a calibração a cada 15 dias, contudo, é algo que depende muito mais do uso do veículo do que uma regra geral. A dúvida de quando calibrar os pneus pode atingir tanto motoristas novatos como os mais experientes.

Por isso, neste artigo vamos falar da importância da calibração, os riscos de pneus mal calibrados e como realizar esse procedimento de forma descomplicada. Continue a leitura.

Qual a importância de ter pneus calibrados?

Como já falamos, a calibragem dos pneus é um procedimento que garante segurança para os ocupantes do veículo, seja ele qual for, já que caminhões, motocicletas e até mesmo bicicletas precisam de ar nos pneus para rodar.

Além disso, evita o desgaste da roda, que é feita de metal e se entrassem em contato com o solo, causaria atritos que geraram até mesmo faíscas. Pneus calibrados também são importantes para:

Dirigibilidade, estabilidade e aderência

Calibrar pneus garantem uma boa dirigibilidade, estabilidade e aderência do veículo ao asfalto ou pista, tornando a condução mais segura, pois as respostas do veículo às suas ações são mais eficientes. 

Por exemplo, em situações de frenagem de emergência, chuva intensa e curvas, pneus descalibrados podem comprometer a estabilidade e o controle do veículo, aumentando o risco de acidentes.

Evitar desgaste dos pneus

Você sabia que pneus com pressão abaixo do adequado desgastam-se mais rapidamente? Além de diminuir a vida útil do equipamento, a baixa pressão também pode levar a um estouro enquanto você dirige, gerar um acidente e/ou exigir que você faça uma troca deles talvez antes do previsto. 

Economia de combustível

Quando os pneus estão calibrados, o peso do veículo é distribuído adequadamente. Isso minimiza a resistência ao rolamento, o que significa que o motor precisa de menos energia para mover o veículo. Assim, você economiza combustível.

Calibrar pneu de moto ou caminhão é diferente de calibrar os pneus de carro?

Sim! Para cada veículo existe uma pressão diferente, mesmo entre carros, o valor pode variar dependendo do modelo, tamanho, peso e tipo de pneu utilizado. 

Segundo especialistas, a pressão dos pneus para motos e caminhões é geralmente maior do que a pressão dos pneus para carros, e a calibração incorreta pode levar a problemas de segurança e desempenho. Por isso, é importante seguir as especificações do fabricante para garantir que os pneus estejam calibrados corretamente.

Então, qual a pressão ideal para meu veículo?

A informação de qual o valor, em libras, para calibrar os pneus do seu carro está descrita em um adesivo: em alguns veículos ele está em alguma das portas dianteiras e outros internamente na tampa do combustível.

Mas, se você tiver dificuldade, lembre-se de consultar o manual do usuário e sempre fique atento ao valor, pois, pneus podem necessitar de mais ou menos ar. Isso acontece devido ao fato dos pneus traseiros serem responsáveis pelo peso do passageiro e da carga, então geralmente ele precisa de mais ar.

Calibrar os pneus de forma descomplicada

Calibrar os pneus pode parecer uma tarefa cansativa, mas não precisa ser. Pelo contrário, seguindo simples instruções, é algo totalmente simples e que, com o tempo você fará automaticamente ao chegar no posto de gasolina!

O primeiro passo é realizar o processo com os pneus ainda frios. Segundo o site Pemavel, eles devem ter rodado no máximo 3km antes de uma longa parada, para que a dilatação não atrapalhe o processo.

O estepe também deve ser calibrado, de preferência com 1 ou 2 libras acima do recomendado, para que, quando você precise utilizá-lo, não tenha nenhum problema com a falta de pressão e possa rodar com segurança.

Após confirmar a pressão no manual ou nos adesivos, você deve:

  • Estacionar o veículo ao lado do aparelho de ar no posto de gasolina;
  • Ajustar o calibrador com a pressão correta;
  • Retire o bico do pneu (um por vez) e tenha cuidado para não perdê-lo;
  • Insira a mangueira do calibrador no encaixe e dê o start;
  • O calibrador apita ao fim do processo, então após o sinal, tire a mangueira e encaixe o bico corretamente.

Calibrar os pneus do seu veículo é importante para você, quem te acompanha e para todos no trânsito. Por isso, tenha esse cuidado e assegure-se de sempre estar com eles em perfeito estado. 

E caso seja necessária a troca, o COMPRE SUA PEÇA tem pneus para veículos de diversos portes, capacidades e finalidades. Confira nosso site e a seleção das melhores marcas.

Categorias
Carro

Quais foram os carros mais procurados por mulheres em 2023?

Quais foram os carros mais procurados por mulheres em 2023?

Existe carro feminino? Alguns modelos são sempre os mais procurados por mulheres e acabam ganhando esse rótulo, apesar de nenhum deles ser voltado para nenhum gênero específico.

Contudo, alguns veículos ganham mais atenção do público feminino, seja pela sua praticidade, tamanho ou design, que chamam a atenção mais de mulheres que de homens, mostrando que os dois grupos, geralmente possuem necessidades distintas.

E isso se reflete nos números de carros mais procurados por mulheres. Quer saber quais são? Continue a leitura, mas antes, confira um pouco da história e relação entre mulheres e carros.

Mulheres e carros: uma relação distante por muito tempo

Por muito tempo, carros e atividades relacionadas ao automobilismo foram relacionadas ao universo masculino, mesmo as mulheres sendo responsáveis por muitas mudanças importantes no setor e protagonistas de momentos que transformaram o mundo automotivo.

Nos primórdios do carro, Karl Benz teve a ajuda de sua esposa Bertha Benz para testar a durabilidade e eficiência do seu veículo. Ela sempre se interessou por mecânica e sua condição financeira privilegiada permitiu seguir seus sonhos.

Ao se casar com Benz, ela teve a ideia de viajar sozinha com os filhos e sem a autorização do veículo. O trajeto de 100 km foi essencial para que ela percebesse que os veículos precisavam de melhorias, principalmente com relação aos freios: sua solução deu origem às lonas de freio.

Além disso, Bertha solucionou sozinha os problemas mecânicos e de combustível. Já Florence Lawrence, percebeu que faltava sinalização para que o motorista fizesse conversões com segurança e assim nasceram as setas! Mais tarde ela também desenvolveu o protótipo da luz de freio. 

Contudo, segundo o site Auto Papo, Lawrence não recebeu nada por suas invenções devido às dificuldades de patenteá-las.

As mulheres ainda estão presentes em equipes de corridas, cargos altos em montadoras, são chefes de equipe de automobilismo e em muitas outras áreas, mostrando que, carro não é coisa de homem, mas para todas.

E sua presença no mercado consumidor também é bastante expressiva e as motoristas e proprietárias são conhecidas por manterem seus veículos em bom estado e em segurança: segundo o site Uol Carros, seguros veiculares podem ser até 40% mais baratos para mulheres.

Mas atenção, isso pode variar dependendo do histórico nas pistas, ou seja, quem possui menos multas e envolvimentos em acidentes é considerado mais confiável e, por isso, pode pagar menos!

Os carros mais procurados por mulheres em 2023

Definir as preferências femininas não é simples, afinal, mulheres possuem necessidades diferentes: uma mãe, por exemplo, pode buscar mais espaço interno, uma executiva, praticidade e modelos menores.

Já estudantes, podem querer um modelo mais econômico e mais em conta. Por isso, trouxemos aqui os carros mais procurados por mulheres com base em estatísticas, acompanhe!

Chevrolet Onix

O Onix é um dos veículos mais vendidos do Brasil e também ocupa um lugar de destaque entre as preferências femininas. 

Volkswagen T-Cross

Os modelos SUV estão em alta e o T-Cross é um dos mais seguros e espaçosos do mercado, além de possuir um bom desempenho.

Fiat 500

Pequeno e delicado, o FIAT 500 é uma opção para mulheres que querem algo moderno, já que ele é vendido em sua versão “E” e elétrico. O valor não é o mais acessível, porém o compacto tem chamado a atenção.

Hyundai HB20

Aliado a um design compacto, robusto e moderno, o Hyundai HB20 também é um dos veículos mais seguros da atualidade. Outro ponto a favor é a revisão e manutenção mais baratas comparada aos concorrentes.

Honda Fit

Entre os carros mais procurados por mulheres, está o Honda Fit, um sedan espaçoso, potente e com boa dirigibilidade, além de ser econômico, fazendo até 11.6 km/l.

Nissan Kicks

O Nissan Kicks é um SUV compacto e confortável, devido ao seu sistema de suspensão que elimina trepidações, é seguro em curvas e lida bem com terrenos irregulares. Uma boa opção para mulheres que buscam um carro econômico: faz 11,4 km/l (cidade) e 13,7 km/l (estrada) com gasolina.

Os melhores carros de 2023 segundo mulheres

Nos últimos 13 anos, 63 jornalistas mulheres especializadas em carros, selecionaram os melhores carros do ano, baseados em segurança, condução, conforto, tecnologia, design, eficiência, impacto no meio ambiente e relação custo-benefício.

Os 6 selecionados são publicados no site Women’s World Car of the Year, confira a lista:

Melhor Modelo Urbano: Kia Niro

É espaçoso, prático, seguro, fácil de conduzir, de baixíssimo consumo de combustível e é ecológico devido aos seus conjuntos de propulsores.

Melhor SUV familiar: Jeep Avenger

É o primeiro veículo 100% elétrico da Jeep, tem um design arrojado e adaptado para o off-road, apesar da tração dianteira.

Melhor carro de grande porte: Citroën C5 X

É encontrado nas versões a gasolina e híbrido, possui espaço amplo, conforto e design atraente.

Melhor SUV de grande porte: Nissan X-Trail

O veículo tem capacidade para 7 pessoas e amplo espaço interno. É eficiente em terrenos acidentados e é híbrido, com seu motor funcionando com um sistema de propulsão fornecido por um motor a gasolina.

Melhor performance: Audi RS3

Um esportivo com o melhor da tecnologia Audi de carros de corrida.

Melhor 4×4 e pick-up: Ford Ranger

Uma picape versátil, com bom desempenho em todos os terrenos, eficiente tanto como um off-road como um carro para o dia a dia. 

E para você que está em busca de ter um dos carros mais procurados por mulheres em 2023, não se esqueça das manutenções e passe no COMPRE SUA PEÇA para garantir as melhores peças e equipamentos para seu veículo. 

Categorias
Autotechs Carro

Marketplace: Como ter um negócio bem-sucedido?

O marketplace é um modelo de e-commerce que conecta compradores e vendedores de diferentes produtos e serviços. É uma forma de negócios promissora, com um grande potencial de crescimento, principalmente após o crescimento de pedidos online após a pandemia.

 

Atualmente no Brasil, temos 5 marketplaces que correspondem a quase 80% de todas as compras feitas via internet: Amazon, Americanas, Mercado Livre, Magazine Luiza e Via. E boa parte do seu sucessos está em  abrigar estoques de outras lojas, em uma estratégia eficiente de fulfillment.

 

Com isso, lojistas podem perceber como é importante se inserir em um mercado online e que é possível crescer virtualmente. Neste artigo, apresentaremos soluções para que você tenha um negócio  em um marketplace. Vamos abordar temas como:

 

  • O que são marketplaces?
  • Como começar um marketplace?
  • Os diferenciais do marketplace
  • A importância de estar em uma plataforma nichada

 

O que é marketplace?

Um marketplace é um site ou aplicativo que permite que compradores e vendedores de diferentes produtos e serviços se conectem. Ele funciona como um intermediário, cobrando uma taxa dos vendedores por cada transação realizada.

Como começar um marketplace?

Se você tem uma loja física ou quer começar do zero, o primeiro passo para iniciar em um marketplace é definir o seu nicho. Qual tipo de produto ou serviço você deseja oferecer? Quem são seus potenciais clientes?

Depois de definir o seu nicho, você precisa desenvolver um plano de negócios, para que sua loja entre em funcionamento e não entre para uma triste estatística: segundo o site Moip, aproximadamente 80% dos marketplaces que são abertos no Brasil, fecham em 18 meses. 

Além de uma estratégia falha, boa parte dos empreendedores desconhecem como calcular margem de lucro e não sabem como fazer fluxo de caixa, levando à falência, Por isso, um bom plano de negócios deve incluir informações sobre:

O seu modelo de negócios

O modelo de negócios é a maneira que você vai escolher ganhar dinheiro, ou seja, o que vai vender e para quem. Outro termo que pode gerar confusão, porém é importante saber dividir o que cada um significa, é o plano de negócios.

Diferente do modelo, o plano define ações para que o modelo seja colocado em prática. Escolher um modelo pode definir o sucesso ou fracasso das suas vendas, por isso, é importante conhecer cada um e o que cada um pode fazer pela sua loja.

Um marketplace pode funcionar em dois tipos principais:

  • Marketplaces B2C: conectam compradores e vendedores de bens de consumo.
  • Marketplaces B2B: conectam compradores e vendedores de produtos e serviços para empresas.

O seu marketing e vendas

Quem não é visto, não é lembrado. Esse é um lema antigo, porém, atual até hoje, caso você queira fazer a diferença, é preciso investir em um bom marketing e uma boa estratégia em redes sociais.

No caso do marketplace, esse plano deve atrair tanto clientes como possíveis vendedores e, para atingi-los, é necessário mais que apenas bons produtos, mas tomar boas decisões, como, por exemplo, encontrar o melhor canal de vendas: se sua loja vende autopeças, é necessário encontrar alguém do mesmo nicho e que hospede sua loja. 

Outra dica é, invista em e-mail marketing, anúncios e SEO. Isso fará com que seus produtos e sua loja apareçam com mais frequência em resultados do Google, tornando-se mais atrativos a quem procura soluções.

Finanças e Marketplace

Assim como qualquer comércio, o marketplace deve ter uma equipe para monitorar o orçamento, fluxo de caixa, prejuízos, lucros, entre outros aspectos para uma vida financeira saudável.

Sem esse controle, torna-se impossível ter sucesso em seu negócio, já que sem dinheiro, não é possível movimentar nenhum empreendimento. Por isso, é vital que a equipe tome as melhores decisões e seja idônea. 

Os diferenciais do marketplace

Os empreendimentos online tiveram um crescimento maior durante a pandemia por oferecer diferenciais que possibilitaram que cliente e lojista continuassem comprando e vendendo com pouco ou nenhum prejuízo. 

Uma das maiores vantagens e diferenciais é exatamente a possibilidade de comprar em qualquer lugar e receber a mercadoria devido à internet. Além disso, os custos com aluguel, loja e funcionários caem, facilitando a entrada de novos empreendimentos.

O maior diferencial é a possibilidade de oferecer uma experiência diferenciada e conveniente para seus clientes, com pagamentos com segurança, entrega rápida e a domicílio, com mercadorias de qualidade a melhores preços que em lojas físicas, já que boa parte dos gastos serão cortadas e assim, você não precisa embutir nos preços de suas mercadorias.

Para ter um negócio de marketplace bem-sucedido, é importante ter um plano de negócios sólido e uma estratégia de marketing eficaz, além de ter metas definidas e foco na experiência do cliente.

A importância de estar em uma plataforma nichada

Conhecer bem o mercado de atuação, permite usar a linguagem correta nas argumentações e também soluções de possíveis problemas, por isso montar a sua loja em um marketplace nichado, faz total diferença para os resultados.

O COMPRE SUA PEÇA é uma plataforma totalmente para o segmento automotor e oferecemos soluções para inserir negócios no mundo digital através de uma plataforma segura, escalável e desenhada para o segmento de peças. A plataforma reúne os melhores produtos para veículos de diferentes segmentos, com vendedores em todo o Brasil e ampla variedade. 

Se você está quer ter sua loja oficial, entre em contato e descubra as vantagens de iniciar seu negócio conosco. 

Categorias
Carro

Como é o funcionamento de um carro elétrico?

O carro elétrico está cada vez mais comum em ruas e lançamentos de muitas montadoras, ficando mais próximo do público. Apesar dos altos valores, é apenas uma questão de tempo até que se tornem mais populares.

Além de serem silenciosos, os carros não emitem poluentes e não utilizam combustíveis fósseis, sendo uma opção muito mais sustentável para o planeta que pede por medidas urgentes de proteção. Podemos discutir a questão do descarte das baterias, mas esse é assunto para outro conteúdo.

Mas, antes de entender como eles funcionam, você já imaginou como surgiram os carros elétricos? Por trás dessa tecnologia estão décadas de estudos, avanços e inovações até que eles pudessem ser comercializados.

Os Primeiros Carros Elétricos: O Início de uma Revolução

Flocken Elektrowagen

Apesar de novos nas ruas e propagandas de televisão, os carros elétricos não são uma invenção tão nova: Desde o final do século XIX, os primeiros carros elétricos começaram a ganhar vida. 

De acordo com o site Iberdrola, em 1828 o húngaro Ányos Jedlik criou o primeiro motor elétrico do mundo que, depois, foi instalado a um modelo de carro. Do outro lado do mundo, em 1934, o estadunidense Thomas Davenport construiu um modelo que funcionava em uma pista eletrificada.

Porém, o maior avanço no século foi o de Robert Anderson, pai do carro elétrico, que apresentou um protótipo de um carro alimentado por células elétricas. Esse modelo serviu como base para muitos outros, porém eles não possuíam baterias que poderiam ser recarregadas, um problema que persistiu até 1859 com a invenção das baterias recarregáveis.

E em 1881, Camille Faure foi essencial para que Gustave Trouvé apresentasse seu triciclo elétrico na Exposição Internacional de Eletricidade em Paris: ela aperfeiçoou a bateria, dando mais autonomia ao veículo. Todas essas inovações possibilitaram a criação do  Flocken Elektrowagen, pelo inventor alemão Andreas Flocken: Ele possuía motor de 0.7kW e chegava a 15km/h, com uma bateria pesando 100kg.

Como funciona um carro elétrico?

Diferente dos carros convencionais, o carro elétrico não necessita de gasolina ou álcool para se locomover e isso é um dos seus maiores atrativos, já que não libera gases tóxicos no ar. Eles funcionam com 3 componentes principais:

  • Bateria;
  • Inversor;
  • Motor de Indução;

O motor de indução

Dentro do motor de indução do carro elétrico existem duas peças principais: Estator e Rotor. 

Assim que sai da bateria -tópico que falaremos adiante- a energia está em forma de corrente alternada trifásica e vai diretamente para o estator no qual é criado um campo magnético ao seu redor, que envia a corrente às barras do rotor que gira. 

O rotor abriga o eixo que gira e faz com que a eletricidade se transforme em energia mecânica. Dessa maneira, elimina-se a caixa de transmissão, peça comum em carros à combustão. 

Inversor

Essa peça transforma a corrente contínua em alternada e é o centro do carro elétrico, controlando a frequência de envio da energia para o estator. Ao uniformizar a energia, controla a potência do motor. 

A bateria

Um dos componentes mais importantes e falados dos carros elétricos são as baterias que evitam o uso de combustíveis fósseis e emissão de gases tóxicos na atmosfera. Elas são compostas de células de lítio e dispostas lado a lado, gerando calor e a energia necessária para a movimentação.

O calor produzido é resfriado com glycol que chega ao destino por tubos metálicos após passar pelo radiador, que também é um dos componentes do carro elétrico. 

Vistas como limpas e sustentáveis, as baterias também são centro de polêmica, como falamos no início do texto, afinal, elas possuem vida útil limitada e então como descartá-las e evitar que seus componentes prejudiquem o meio ambiente?

Outro ponto é, assim como o petróleo, o lítio é um material produzido pela natureza, que pode se extinguir e a mineração pode causar danos ao meio ambiente, como desmatamento, contaminação de nascentes e destruição de paisagens. Além disso, a produção de lítio aumenta consideravelmente a cada ano.

Conforme o site Terra, em 2022 foram extraídos 130 mil toneladas métricas, com previsão de quadruplicar essa quantidade em 2030 e, apesar da facilidade em encontrar, os depósitos de lítio estão localizados em pequenas partes do planeta. O desafio é fazer a extração de uma forma que não prejudique o meio ambiente, esgote os recursos e a possibilidade de inovações tecnológicas.

Como recarregar um carro elétrico?

Um recurso necessário para que os carros elétricos funcionem é a eletricidade, já que suas baterias são recarregáveis e possuem autonomia limitada. E em poucos aspectos esse processo de recarregar é semelhante ao de abastecer o veículo com combustível. 

É possível ter um carregador em casa, mas a melhor opção ainda são os postos, já que são necessárias adaptações e o custo pode ser elevado para a conta de energia e o carregamento mais lento. 

Atualmente no Brasil existem mais de 100 pontos para a recarga de baterias, muitas em postos de combustível, estacionamentos ou estabelecimentos privados. E a vantagem é poder recarregar rapidamente, atingindo até 80% da carga em menos de uma hora e em alguns pontos, de forma gratuita. Tornando-se uma opção econômica a longo prazo, já que o investimento inicial é maior que um veículo a combustão.

Manutenção do Carro Elétrico

Ao contrário dos carros a combustão, os carros elétricos requerem menos manutenção, pois possuem menos componentes que um veículo convencional, contudo, como qualquer máquina, é necessário fazer revisões periódicas e verificações na bateria, pneus e freios regenerativos, para o bem do veículo e de seus ocupantes.

Em um carro elétrico, o motorista não vai realizar trocas de óleo, manutenção no sistema de carburação, transmissão e substituição do filtro de ar, velas de ignição e correias de transmissão, pois essas peças não são necessárias. 

Os carros elétricos estão revolucionando a indústria automotiva. Desde os primeiros modelos até a infraestrutura de recarga e manutenção, essa tecnologia oferece benefícios para o meio ambiente e para os motoristas. Se você está pronto ou quer fazer parte dessa transformação, deixe seu comentário ou dúvida sobre o assunto.

E, se você ainda não migrou para os carros à eletricidade, adquira o que você precisa no COMPRE SUA PEÇA!

Categorias
Campanha Promoção

Black Friday: Você sabe como e quando surgiu essa data?

compresuapeca_black_friday

Ao chegar o mês de novembro já começamos a planejar nossas prioridades e orçamentos para a tão esperada Black Friday. Sabemos que essa é uma data que teve origem nos  Estados Unidos, mas, como ela surgiu?

A Black Friday é conhecida como a sexta-feira da queima de estoque de lojas do mundo todo e, pelos preços atrativos, muitas pessoas reservam dinheiro ao longo do ano para investir em algo nessa data: roupas, eletrônicos e até alimentos, entram na lista dos mais desejados.

Continue a leitura e descubra como surgiu esse dia tão importante para lojistas!

Quando é comemorada a Black Friday?

A Black Friday não possui uma data fixa, pois ela acontece logo após o dia de Ação de Graças nos Estados Unidos, celebrado na quarta quinta-feira do mês de novembro. Porém, essa data também foi definida para que os Estadunidenses tivessem uma semana a mais de compras para o fim do ano.

De acordo com o site da emissora BBC, o presidente Abraham Lincoln havia determinado que o Dia de Ação de Graças aconteceria na última quarta-feira ou quinta-feira do mês de novembro.

Porém, em 1939 a quinta-feira também foi o último dia do mês, fazendo com que lojistas e população tivessem menos tempo para as compras de natal (os preparativos começam após o feriado de Ação de Graças). 

Então, visando o lucro e maior receita ao país, o então presidente Franklin Roosevelt definiu que a Ação de Graças aconteceria na quarta quinta-feira do mês, dando mais alguns dias para a preparação da data.

A Black Friday aconteceria no dia seguinte ao feriado e todos teriam dias a mais para se prepararem para o fim de ano.

Origem do termo

A origem do nome Black Friday para as liquidações de fim de ano possui algumas versões, mas nenhuma delas é oficial. 

O primeiro registro do nome foi ainda no século XIX e surgiu após um esquema feito por dois investidores de ouro: ilegalmente, Jay Gould e Jim Fisk controlaram a ação do metal no país, fazendo com que ela subisse muito.

Os dois venderam sua parte e enriqueceram, porém, governo precisou intervir, fazendo com que o índice despencasse. Com isso, outros investidores perderam tudo na sexta-feira de 24 de setembro de 1869, chamada de Black Friday.

A segunda é a referência a um evento triste, porém que ficou marcado na história mundial: Peste Bubônica. Uma revista da década de 1950 descreveu o comportamento dos trabalhadores como uma ressaca ou atingidos pela Black Death (morte pela Peste Bubônica).

Por último, e mais recente, se refere à sobrecarga de trabalho que policiais tinham após o feriado de Dia de Ação de Graças: tanto o trânsito como as ruas ficavam lotadas, fazendo com que eles trabalhassem muito!

 

compresuapeca_black_friday

Popularização da Black Friday pelo mundo

Esse último motivo fez com que os comerciantes da cidade da Filadélfia (local no qual surgiu o termo), percebessem que, além da bagunça, o feriado trazia turistas em busca de boas compras.

Por isso, alguns deles criaram a Big Friday, nos anos de 1960. O termo acabou não se popularizando, devido à conotação negativa da data, contudo, o cenário mudou a partir da década de 1980.

Com a ajuda da publicidade, comerciantes conseguiram transformar a Black Friday em algo positivo e então se espalhou pelo país, sendo o ponto de partida para as compras de fim de ano.

Já nos anos 90, ela se espalhou pelo mundo, chegando ao Brasil em 28 de novembro de 2010 e foi totalmente online, com a participação de 50 lojas. Nos anos seguintes, a data começou a se popularizar, bater recordes de vendas e em 2020, em meio à pandemia, a data movimentou R$5,1 bilhões, 31% a mais que em 2019.

Black Friday ou Black Fraude?

Com a popularização da data, alguns lojistas perceberam que poderiam lucrar de maneira antiética, aumentando preços, semanas antes e, no dia, voltando com o preço anterior, alegando desconto. Por isso, frases como “Tudo pela metade do dobro”, “Black Fraude” ficaram famosas entre consumidores.

Contudo, em 2013 o Decreto 7962/13 determinou o Código de Ética Black Friday, no qual estão descritos quais as práticas que lojistas devem ter antes e durante a sexta-feira de descontos.

E a razão para que esse decreto fosse aprovado foram as mais de 8 mil reclamações no site Reclame Aqui. A maioria alegava a “maquiagem de preços” e outras práticas abusivas, que ainda não estavam descritas no Código de Defesa do Consumidor, portanto, clientes não tinham respaldo da lei no momento desse tipo de compra.

Além desse código de ética, a Câmara do Comércio Eletrônico também distribui o selo Black Friday às empresas que aderem a esse código, dando mais segurança e transparência ao consumidor que visa evitar problemas futuros.

Perfis de monitoramento de preços e o Código fazem com que essa data seja mais agradável aos lojistas e clientes, contribuindo cada vez mais com o crescimento do comércio no país! 

Mas como fazer as melhores escolhas no momento da compra?

6 Dicas para comprar na Black Friday

compresuapeca_black_friday

 

As ofertas são tentadoras, mas será que vale a pena arriscar? Para que sua compra chegue em sua casa, confira algumas dicas:

  1. Confira o CNPJ da loja no site da Receita Federal. Isso permite que você saiba a real situação da empresa e facilita caso você precise entrar com ação no Procon ou Juizado de Pequenas Causas.
  2. Se as compras forem online, verifique o endereço correto: alguns golpistas podem utilizar nomes semelhantes ou domínio diferente do oficial.
  3. Se o pagamento for somente por boleto ou PIX, desconfie! Essas formas de pagamento são as mais utilizadas em caso de golpe.
  4. Comece a pesquisar e monitorar o preço dos produtos desejados com antecedência, assim é possível comparar o real desconto ou até mesmo realizar uma denúncia ao órgão responsável.
  5. Confira os termos de entrega e garantia antes de efetuar a compra. Devido ao alto número de pedidos, lojas podem demorar um tempo a mais para entregar, atrasando seus planos.
  6. Conte com o Compre Sua Peça para realizar uma compra segura, barata e com o pós-venda preparado para atender suas solicitações!

Sabia que o Compre Sua Peça está preparando uma Black Friday com produtos das melhores marcas para você e seu veículo? 

Siga nossas redes sociais, acompanhe as promoções e prepare-se para a maior promoção do ano no Compre Sua Peça.